quarta-feira, 7 de Novembro de 2012

A civilização egípcia: localização geográfica, economia e sociedade

Egipto



O Egipto é um território desértico, atravessado pelo rio Nilo, de Sul a Norte. A terra fértil limita-se a uma estreita faixa de terra ao longo do rio, devido às cheias anuais que permitem depositar sedimentos e limos. Sem o Nilo, essas terras férteis não poderiam existir e seriam, portanto, desérticas.
As cheias têm origem nas chuvas tropicais registadas na sua nascente. No entanto, essa origem não era conhecida pelos egípcios. Como as cheias aconteciam nos meses mais secos e quentes do ano – Julho e Agosto – e os egípcios não sabiam explicar o fenómeno, vão explicá-lo atribuindo as inundações a uma “dádiva dos deuses”.
Os egípcios dedicavam-se a uma série de actividades:
- a agricultura: construiam diques e canais de modo a canalizar a água para zonas mais distantes do rio; cultivavam cereais, árvores de fruto, vinha
- criação de gado bovino e caprino
- artesanato: ourivesaria, cestaria, cerâmica, metalurgia
- comércio externo e interno
O rio Nilo era a principal via de comunicação do Egipto, utilizado também pelos comerciantes, que transportavam as mercadorias nas suas embarcações.
Os grupos privilegiados eram o faraó e a família, os nobres e altos funcionários, os sacerdotes e os escribas; os grupos não privilegiados eram os comerciantes, os artesãos, os camponeses e os escravos.
O Faraó era a figura mais importante do Egipto. Era ele quem go-vernava. Os nobres tinham terras e gozavam de privilégios concedidos pelo faraó. Desempenhavam cargos no governo. Os sacerdotes organizavam os cultos religiosos e também recebiam uma série de benefícios do faraó. Os escribas desempenhavam um papel importante na administração.
Os camponeses trabalhavam nas terras do Faraó, dos Templos e dos Senhores. Tinham uma vida dura e pagavam pesados impostos. Os escravos eram prisioneiros de guerra. Eram domésticos ou trabalha- vam nos campos ou nas minas.
Os escribas desempenhavam um papel importante na administração porque dominavam o complexo sistema de escrita egípcio e possuíam conhecimentos relativos à administração e aos impostos.
O faraó tinha um poder sacralizado porque era considerado um deus vivo e, por isso, ninguém podia desobedecer-lhe. O faraó dispunha, assim, de um poder absoluto.
O faraó tinha o poder legislativo, executivo, judicial e militar. Utilizava um conjunto de símbolos que demonstravam o seu poder: a touca com o abutre e a cobra-capelo que representavam o poder militar; o chicote, símbolo da justiça; a barba postiça, símbolo de força e divindade; e o cajado, símbolo da condução suprema do povo egipcío.




Responde Às Questões seguintes:
  1. Localiza, no Espaço, o rio Nilo EO Egipto.
  2. Explica uma das Margens Fertilidade do Nilo.
  3. Justificativa uma divinização do Rio Nilo Por Parte dos egípcios.
  4. Descreve como Actividades um Que OS egípcios se dedicavam.
  5. Uma justificação importancia do Rio Nilo parágrafo o Comércio.
  6. Indica OS EXISTENTES Grupos Sociais.
  7. Distingué cessos Grupos não Que Diz Respeito Às funções e condições de Vida.
  8. Justificativa uma importancia dos escribas nd Sociedade egipcia.
  9. Caracteriza o Poder do faraó.
  10. Descreve OS SEUS Poderes.

Sem comentários:

Enviar um comentário